Você está em:

Esportes

Os trunfos de Cristiano, Messi e Van Dijk para The Best

 

Quem será eleito o melhor jogador do mundo de 2019 na cerimônia do Fifa The Best, na próxima segunda-feira, 23, em Milão? Um ano depois de o croata Luka Modric quebrar uma década inteira de hegemonia de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, a dupla está volta à disputa. Cada um deles tem cinco troféus e quer mais um prêmio para se isolar como o maior vencedor da história. Quem tentará surpreender os craques desta vez é um novato no evento, o zagueiro holandês Virgil Van Dijk.

 

A faro artilheiro de Messi e Ronaldo garantiu aos dois mais um pódio do The Best. Ambos terminaram como campeões nacionais, pela Juventus da Itália e pelo Barcelona da Espanha, respectivamente. Van Dijk não faturou a Premier League, mas tem outro ótimo trunfo: foi um dos destaques do Liverpool, o vencedor da Liga dos Campeões da Europa.

 

Qual deles merece mais o prêmio? VEJA listou os feitos de cada um dos três finalistas: 

 

Cristiano Ronaldo 

Não é segredo para ninguém que Cristiano Ronaldo quer superar Messi em conquistas da Bola de Ouro. A primeira temporada do português pela Juventus não foi espetacular como as últimas pelo Real Madrid. Mesmo assim, o atacante teve bons números e voltou a conquistar títulos: foi campeão italiano e foi eleito o melhor jogador da competição. Também venceu a Supercopa da Itália com a Juventus.

 

Foi um raro ano em que o atacante de 34 anos não terminou as principais competições de clubes como artilheiro. Fez seis gols na Champions, metade do que fez o rival na disputa, Messi – ficou atrás também de Robert Lewandowski, do Bayern de Munique. No Campeonato Italiano, foram 21 bolas na rede, na quarta colocação na lista de goleadores.

 

A cobiçada Liga dos Campeões virou ilusão após a derrota para o Ajax nas quartas de final. Apesar disso, o melhor momento de Cristiano Ronaldo na temporada aconteceu no torneio. No jogo de volta das oitavas de final contra o Atlético de Madri, o atacante marcou os três gols da vitória e garantiu classificação da Juventus. Sua atuações pela seleção de Portugal podem pesar em favor do craque. O jogador foi o artilheiro da fase final da Liga das Nações e ajudou sua equipe a ficar com o título em junho.

 

Lionel Messi 

Até o segundo jogo da semifinal da Liga dos Campeões, parecia que o camisa 10 do Barcelona ganharia o prêmio de melhor do mundo com facilidade. Messi tinha 12 gols em nove jogos na competição, comandava o time catalão para mais uma decisão e ajudava a equipe a nadar de braçada na frente dos rivais no Campeonato Espanhol. A goleada por 4 a 0 sofrida para o Liverpool no jogo de volta colocou a escolha certa para o Fifa The Best em dúvidas – considerando que Virgil Van Dijk venceu a Champions e o prêmio costuma valorizar os campeões europeus.

 

Ninguém tem números mais expressivos do que Lionel Messi na última temporada. A média de mais de um gol por jogo da Champions se repetiu na liga nacional: 36 gols em 34 partidas. Tantas bolas nas redes adversárias renderam a Chuteira de Ouro da Europa pela sexta vez na carreira – é o maior vencedor da história da disputa. 

 

Virgil Van Dijk

Quando o Liverpool pagou 75 milhões de libras ao Southampton em dezembro de 2017, buscava um jogador que pudesse resolver os problemas que a defesa havia passado nos anos anteriores. Mas nem o torcedor mais otimista poderia esperar que o então zagueiro mais caro da história – superado por Harry Maguire e pelo compatriota Matthijs de Ligt nesta temporada – daria tão certo. 

 

O sucesso foi quase instantâneo e o defensor de 1,93m bateu na trave na Liga dos Campeões já no primeiro semestre com o Liverpool – participou da derrota para o Real Madrid de Cristiano Ronaldo na final. A glória viria na temporada seguinte: título europeu e um vice-campeonato inglês com a terceira melhor campanha da história, só superada pelos dois últimos anos do Manchester City de Pep Guardiola. Ainda foi vice da Liga das Nações com a Holanda.

 

Apesar de ser zagueiro, o reconhecimento individual veio, com méritos. O jogador de 28 anos que ficou incríveis 65 jogos seguidos sem sofrer um único drible foi eleito o melhor jogador da Premier League, o homem do jogo na final da Champions League e também ficou com o prêmio de melhor da Europa, superando os dois concorrentes no Fifa The Best. Se o meia Luka Modric foi eleito na temporada passada graças às conquistas com o Real Madrid e a Croácia, não seria surpresa ver Van Dijk subir ao palco para receber a Bola de Ouro em Milão na segunda-feira.

 

 

fonte: RevistaVeja


Comente









Notícias Gerais


Outras Notícias